domingo, 18 de outubro de 2009

Inglês é uma delícia!

Como eu disse há alguns posts atrás, ninguém aprende inglês direitinho, de verdade, se não se apaixonar pela língua. Até aprende, aprende a se virar, quando tem um propósito claro. Mas para aprender de verdade, tem que se apaixonar.

Claro, eu sou suspeita para falar, eu sou teacher... Mas é meio difícil para eu entender como alguém consegue não se apaixonar por inglês! É tão delícia! É tão bom, saber inglês
é tão bom, é tão legal, como alguém pode não querer?

Achei um artigo muito legal justamente falando sobre isso aqui .

Ele basicamente fala do que eu sempre acreditei: você tem que estar apaixonado para aprender bem uma língua. Somente estando apaixonado você vai querer e precisar passar o máximo de tempo possível com o objeto do seu amor (no caso, o inglês). Vai querer ouvir e ler em inglês. Vai querer aprender mais, mais palavras e frases. Você vai pensar na língua onde quer que esteja. Você começa a observar o inglês de perto, percebe todas as coisinhas que ele faz, fica familiarizado com seus padrões de comportamento peculiares. Você respira a língua. Escuta sua voz. Sente. Consegue aprendê-la mais e mais, naturalmente.

E o texto conlui dizendo que se você somente usar a língua sem amá-la, você não irá melhorar. Se o objetivo é apenas conseguir um emprego melhor, ou passar em uma prova, você não vai melhorar.

É engraçado, porque eu sempre converso muito com os meus alunos sobre as motivações que eles tem para aprender inglês. Sempre falo que é muito importante que eles tenham claro em mente para que vai servir o inglês em suas vidas. E saliento que é isso que fará com que eles aprendam mais e melhor, e persistam.

Mas não é só isso não. Conheço um sem número de alunos que tem mil motivos para aprender, mas não aprendem. Não tem vontade, não adianta... E vontade é algo que vem muito lá de dentro, que dificilmente uma palavra de motivação ou uma pegação de pé vira a mesa. É porque tem que se apaixonar mesmo.

2 comentários:

imjustlooking disse...

verdade, concordo 100%. Até porque isso é com tudo né? Acho que eu comecei a criar esse conceito em torno da aprendizagem a partir do contrário, digo, entendendo que o meu bloqueio total com matemática é pelo simples fato de eu não gostar. Eu não entendo porque não gosto ou vice-versa e esses dois fatores contribuem pra eu não ter vontade e tudo junto contribui pra eu me esquivar e ter um interesse cada vez melhor em fazer uma operação matemática sem calculadora. :)

Filipe disse...

Primeiro, tu sabe que eu sou o surubeiro da línguas. Amo todas elas igualmente ;-)

Segundo, queria saber a tua opinião sobre métodos de ensino/aprendizagem de línguas. Digo isso pq é beeeem comum eu ler e ouvir pessoas dizerem que o aluno tem q dar preferencia pra ouvir e falar, e deixar gramática pra mais tarde.
Mas eu simplesmente não consigo ir pra frente se não me ensinarem a regra da coisa. Talvez seja só eu, sei lá, mas queria saber o que tu pensa. beijo!