domingo, 15 de novembro de 2009

Quer um gato?

Se você está pensando em adquirir um gatinho para ter em sua casa, então talvez seja uma boa idéia estudar um pouco sobre o comportamento felino. E para entender a maneira que um gato se comporta, é importante vê-lo como um membro da família felina, e não simplesmente um animal doméstico, pois as inclinações naturais do gato irão informar muito sobre o seu comportando. Um dono que entenda porque seu gato se comporta dessa ou daquela maneira, provavelmente terá um animal mais feliz e saudável.

Portanto, abaixo você encontra algumas informações básicas sobre os instintos naturais dos gatos e o jeito que esses instintos se manifestam em um ambiente doméstico.

Animal Selvagem

De diversas maneiras, os gatos ainda são animais bem selvagens. Apesar da domesticação, eles são extremamente independentes e mantiveram a capacidade de caçar e se virar sozinhos. O mesmo não é verdadeiro para outros animais domesticados, que não sobreviveriam se deixados a sua própria sorte.

A inclinação natural do gato de perseguir e matar sua presa informa muito sobre seu comportamento doméstico e assegura que o gato é ágil, curioso, atlético e inteligente. Essas tendências naturais são geralmente percebidas pela maneira que os gatos brincam e são a razão pela qual algumas pessoas acreditam ser cruel manter um gato preso dentro de casa. Seja lá qual for o seu lado nesse debate, é importante que seja oferecido ao seu gato estímulos mentais e físicos suficientes. Lembre-se, que se um gato é mantido dentro de casa, ainda assim tem que ter sempre oportunidades de escalar, pular e agir de acordo com seu comportamento inato.

Gatos são o oposto de cães

Gatos e cachorros não poderiam ser mais diferentes na maneira que se comportam, embora, obviamente, há exceções a regra. Um gato não pode ser treinado da mesma forma que se treinaria um cachorro, o que não significa que um gato não possa ser treinado, pois pode. Entretanto, é improvável que você encontre um gato que adore buscar coisas, sentar ou se fingir de morto ao seu comando.
Essencialmente, um gato é muito voluntarioso para aceitar uma posição submissa. Além disso, a maioria dos gatos não está disposta a ser manipulada por humanos contra a sua vontade. Em outras palavras, seu gato não irá permitir que você ofereça carinho se ele não estiver afim. Essas são facetas importantes do comportamento do gato que você deve considerar antes de se comprometer a ter um gato.

Problemas comportamentais

Devido a independência e obstinação do gato, pode ser muito difícil resolver problemas de comportamento, mas não é impossível.

Se seu gato demonstrar uma alteração brusca de comportamento, ou desenvolveu um problema de comportamento, sua primeira atitude deve ser procurar um veterinário, pois alguns problemas podem ser causados simplesmente por problemas de saúde. Gatos, assim como humanos, podem se tornar bem mau-humorados quando não estão bem. Portanto, donos geralmente acabam descobrindo que o comportamento indesejado nada mais é do que o resultado de algum problema físico.
Por outro lado, se um veterinário não encontrar nada de errado em seu gato, é recomendável examinar a qualidade de vida de seu gato e sua atividades. Se seu gato não estiver tendo exercícios suficientes, se tornará frustrado, e geralmente essa frustração é compensada em seus melhores móveis. Então, é bom assegurar que seu gato tenha uma boa variedade de brinquedos para evitar que ele fique entediado.

Basicamente, quando mais você souber sobre seu bichinho, melhor. Se você entende o que faz bem a um animal, poderá fornecer o estímulo e o carinho que ele exige.

Um comentário:

Geórgia disse...

Sabe que eu nunca pensei em ter um gato? Ganhei um casal de gatos adultos de uma amiga da família que ia viajar e não tinha como levá-los. Apesar de não esperar um presente assim, tratei-os da melhor forma e fiquei surpresa com a adaptação deles e o carinho que até hoje demonstram... isso há quase 16 anos!